Segundo o Protocolo firmado em Maputo, são objetivos da LUSOCOM:

– criar condições para que nos países e comunidades ibero-afro-ásio-brasileiro haja desenvolvimento de estudos das ciências e políticas da comunicação no espaço lusófono;

– desenvolver as relações entre o conjunto de países e comunidades de cultura lusófona através de intercâmbio que permite garantir uma posição de relevo à pesquisa em ciências da comunicação ibero-afro-ásio-brasileira;

– provocar o incremento do debate académico e sua extensão para o âmbito das atividades profissionais/empresariais da comunicação dos países e comunidades de cultura luso-galego-ásio-afro-brasileira;

– estimular diferentes tipos de ações entre os países e os pesquisadores das referidas nações e comunidades, particularmente no ENCONTRO LUSÓFONO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, a realizar-se de dois em dois anos, em local a designar pela direção da Lusocom, sob proposta de país candidato à organização;

– estimular a participação dos pesquisadores e comunidades lusófonas nos congressos das associações de comunicação nacionais, de modo a fomentar o intercâmbio no campo da pesquisa, materializando-se principalmente nos grupos temáticos e similares, e em especial, com a participação efetiva nos Congressos das diferentes associações constituidoras desta Federação;

– aumentar a projeção internacional da comunidade lusófona (Brasil, Portugal, PALOP – Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e demais países e comunidades lusófonas) que congrega hoje uma das maiores comunidades académicas no campo das ciências da comunicação.